A hiperatividade está associada ao déficit de atenção?

Saiba mais sobre o TDAH, seus sintomas e tratamentos

Ouça também o podcast com a psicóloga Fernanda Couto :

Quem não tem um filho, sobrinho, afilhado ou até mesmo vizinho que não para quieto? Naturalmente, as crianças já são arteiras e desatentas, mas pode ser uma tarefa difícil saber o limite entre as características próprias da idade e o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Muitos se questionam se a hiperatividade está associada ao déficit de atenção. Quando se fala em hiperatividade, há dois sintomas agregados: a hiperatividade propriamente dita e a impulsividade. A hiperatividade na criança está relacionada à motricidade, aos movimentos. Ou seja, é a criança agitada, que não consegue parar quieta, como diz o ditado, com o bicho carpinteiro. Estes se machucam com mais frequência, sofrem mais acidentes por serem intempestivas, não tem paciência, interrompem e se intrometem nas conversas. Por outro lado, a impulsividade está caracterizada pelo agir sem pensar, dificuldade de autocontrole.  Para essas pessoas, o ditado popular é invertido: “Faz primeiro, pensa depois”! O controle da impulsividade está relacionado à capacidade de inibir os impulsos, da mesma maneira como a capacidade de concentração está baseada em inibir as distrações. Déficits funcionais em áreas cerebrais, especialmente pré-frontais, são as alterações orgânicas comumente encontradas no TDAH, que podem originar tanto sintomas de distração quanto de hiperatividade e impulsividade. A síndrome do TDAH tem esses dois sintomas básicos, porém  quais desses sintomas irão se manifestar ou predominar, varia caso a caso. Em boa parte das ocorrências, os dois estão presentes.

Quando a criança vai crescendo, o nível de exigência sobre ela vai aumentando, por exemplo, com as tarefas escolares, boa nota nas provas, atividade física, alimentação correta. É a partir do momento em que ela vai à escola que o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade fica mais evidente. A criança não consegue acompanhar a turma, tem dificuldade em prestar atenção no professor e em realizar as tarefas. Muitos não são bem quistos pelos colegas de turma e tem dificuldade de relacionamento. Existem casos que possivelmente são contornados com medidas pedagógicas e outros que exigem o uso de medicamentos. Alguns sinais podem anunciar o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade. Quanto antes o problema for diagnosticado e tratado, melhor para o indivíduo que sofre com preconceito, brincadeiras maldosas dos colegas, assim  ele se relacionará com as pessoas que o cercam.

Fique atento aos sintomas:

– agitação (esfregar mãos ou pés, se contorcer na cadeira, balançar objetos…);

– distrair-se facilmente com outros estímulos;

– dificuldade em permanecer sentado;

– realizar com frequência atividades perigosas sem pensar nas consequências;

– parece não escutar o que é dito;

– interromper as pessoas;

– perder materiais necessários para as tarefas ou atividades;

– dificuldade em brincar tranquilo, com uma coisa apenas;

– deixa uma tarefa incompleta para realizar outra;

– problema em manter-se atento às atividades lúdicas;

– não aguenta esperar a sua vez em algum jogo ou tarefa em grupo.

Mas não se desespere! A hiperatividade, a impulsividade, o déficit de atenção, podem ser tratados com uma equipe interdisciplinar de psicopedagogos, psicólogos  para que a criança consiga se conhecer, se entender melhor e se desenvolver sem prejuízos. Tanto é possível que o TDAH não impeça a pessoa de ser bem sucedida que abaixo temos alguns exemplos de famosos portadores de TDAH:

– Michael Phelps: o nadador norte-americano anunciou a aposentadoria após participar de sua quarta Olimpíada em 2012. Considerado um dos maiores atletas de todos os tempos, já quebrou trinta e sete recordes mundiais. O fenômeno nas piscinas conquistou dezenove medalhas olímpicas e, nas Olimpíadas de 2012, tornou-se o atleta com o maior número de medalhas da história dos Jogos;

– Jonh Lennon: um dos fundadores do grupo “The Beatles”, ele foi músico, escritor, compositor, além de ativista britânico. Formou com Paul McCartney uma das melhores e mais famosas duplas de compositores de todos os tempos;

– Jim Carrey: ator canadense, consagrado por interpretar papéis cômicos em filmes como “Débi e Lóide: dois idiotas em apuros”, “O Máskara”, “Eu, eu mesmo e Irene”, “O Mentiroso”.

Diagnosticado o TDAH, é necessário verificar a existência de outras doenças associadas. Nos adultos, ansiedade e depressão são os mais frequentes,  o tratamento vai depender de como esses fatores combinam. A abordagem psicoterápica associada aos medicamentos ajuda contra o distúrbio e contra esses sintomas. Por isso, a necessidade de um tratamento. Na infância o tratamento envolve uma equipe interdisciplinar, com aplicação de medidas pedagógicas e comportamentais. O ideal é acompanhar o caso para ver se há melhora com o crescimento. Em sua maioria, o tratamento deve ser mantido indefinidamente. O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é um distúrbio psiquiátrico, cujo tratamento alcança resultados satisfatórios nas crianças, adolescentes e adultos. Um dos objetivos do tratamento interventivo é que a criança consiga desenvolver habilidades, como: saber ouvir; iniciar uma conversa; olhar nos olhos para falar; manter-se sentada ou quieta por um determinado tempo; mostrar interesse; ser amigável; cooperar com o grupo; usar a palavra “por favor”; saber perder e entender que não se pode ganhar sempre.

Durante o atendimento, o psicopedagogo considera as realidades objetivas e subjetivas que fazem parte da criança com TDAH, e deve considerar aspectos cognitivos, afetivos e sociais, pois eles se complementam. O principal objeto de estudo do psicopedagogo é o ser cognoscente e todo o seu universo relacional, e, assim, ajudar na adequação da realidade da criança à sua maneira de aprendizagem. O psicopedagogo também possibilita uma ponte entre a criança e o conhecimento que está sendo transmitido, investiga a dificuldade de aprendizagem da criança e considera a melhor forma que ela consegue aprender.

Como, geralmente, eles já são chamados atenção por terem mais dificuldade em realizar uma tarefa, é importante ressaltar os pontos positivos, as tarefas concretizadas, o controle de suas ações, a leitura bem feita, uma escrita com sucesso, enfim, as empreitadas bem realizadas pelo portador de TDAH.

O psicopedagogo pode fazer algumas intervenções como:

– atividade com sucata, assim a criança pode explorar a criatividade, criar e formar materiais;

– jogos em que as crianças tenham que se submeter às regras e normas,  desenvolver habilidades, o raciocínio, planejar situações, aprender a ganhar e perder, esperar a sua vez;

– brincadeiras de representação, com diálogos e trocas de papéis;

– combinações intelectuais como xadrez, dama, carta, memória, quebra-cabeça…

Clique aqui e baixe dicas sobre “A SÉRIE: Os Principais Transtornos da Aprendizagem”.

 

O diagnóstico do TDAH deve ser investigado cuidadosamente. Caso você precise de uma equipe interdisciplinar, entre em contato com o Centro Psicopedagógico Apoio. Nós atuamos com excelência na prevenção das dificuldades de aprendizagem, a partir de um enfoque transdiciplinar. Realizamos atendimento psicológico, psicopedagógico, psicanalítico e fonoaudiológico.

e-mail : contato@centropsicopedagogicoapoio.com.br

Fones: (21) 2267-3891;  (21) 3259-8660;  (21) 8589-7775

Endereço: Av. Nossa Senhora de Copacabana 1072/ 406 – Copacabana – Ao lado do Metrô Cantagalo.

Por Anne Mascarenhas

Jornalista

 

Google+

&nbsp&nbsp &nbsp&nbsp
Ver. 1.3

Os comentários estão encerrados.